Como superar os bloqueios de escrita (e o pânico da página em branco)?

Não publicava um post no blog desde o início de janeiro. Tenho vários rascunhos iniciados. Todo dia surge uma ideia e muitas ficam pelo meio do caminho. Poucas coisas me deixam incomodada quanto querer escrever sobre alguma coisa e ficar vendo o cursor do editor de texto piscando. No caderno é aquela página enorme e vazia que fica nos olhando e mostrando todo o espaço que ainda falta ficar completo. E eu só consigo pensar que o Google Docs/ WordPress/ Linkedin/ qualquer que seja o espaço está me julgando por não conseguir concluir uma ideia!

Escrever bem é uma soma da prática e da técnica. Então podemos tentar começar com duas frentes: escrever e ler mais. Não adianta ficar esperando um iluminação divina de inspiração para escrever. Especialmente para quem vive disso (que é o meu caso como redatora freelancer e analista de marketing), é muito fácil estarmos cansados de escrever. Mas precisamos superar isso e criar uma rotina de aprendizado que vai fazer com que as próximas oportunidades sejam mais produtivas.

Com a facilidade atual de publicação, precisamos também estar atentos à qualidade do que escrevemos e lemos. Claro que a boa escolha de temas é um ponto importante (não preciso falar nada sobre checagem de fatos e respeito ao outro, certo? Isso é premissa básica!), mas também a aplicação de regras ortográficas, boa composição de períodos (tem coisa mais chata que ler um texto em que é ‘uma frase = um parágrafo’? Parece que o autor não sabe unir as ideias e tudo vira uma grande lista de tópicos!) e bom desenvolvimento do que está sendo dito, dando clareza e trabalhando bem a composição do conteúdo.

Passamos o dia todo escrevendo mensagens e emails sobre o trabalho, mas costumamos falar apenas entre pessoas que compreendem aquele assunto. Que tal tentar fazer emails mais completos para seus pares? Ou tentar descrever suas atividades de maneira mais detalhada e pedir para alguém que não conhece os seus processos ler o documento? Muitas vezes temos tanta intimidade com o tema que não nos preocupamos com isso. Mas a boa escrita está ali também, no ser compreendido e conseguir passar bem as mensagens necessárias.

Meu atual livro na lista de leituras é o Sobre a Escrita, autobiografia do Stephen King. Peguei algumas boas referências sobre a obra e vou tentar colocar em prática um exercício do autor que é muito divulgado sobre o autor: escrever todos os dias. Ok, não serão as 10 páginas dele, mas ao menos 2 parágrafos para tentar deixar fluir um pouco mais a escrita e as ideias. Sem tema fixo mesmo, só pelo “prazer” de escrever (bem entre aspas mesmo). O meu trabalho depende muito disso para sair do lugar comum e acredito muito nos benefícios desse tipo de dinâmica.

E você? Tem alguma boa prática para exercitar a escrita?

1 comment / Add your comment below

  1. Olá, Lígia, espero que esteja bem!

    Olha, super adorei esse artigo. Eu tenho uma ENORME vontade em escrever melhor e até mesmo publicar pensamentos meus no LinkedIn, face, Insta.. mas, a vergonha, muitas vezes, não me deixa. Ponho a culpa em mim msm, pois fico na minha bolha e não saiu da minha zona de conforto.

    No entanto, estou tentando arrumar motivos para que eu me motive a escrever com excelência e, assim, expor as minhas opiniões, uma vez que eu acho lindo que faz. Achei suas (duas) primeiras dicas ‘matadoras’, rs. Não há, realmente, como escrever bem sem o hábito da leitura e muuuita prática. Bom, ler eu já leio, agora só me resta treinar e me tornar um escritor, mesmo que amador. 🙂

    Obrigado e abraço por compartilhar seus pensamentos.
    Eu cheguei agora aqui no blog, mas já gostei muito. =))

Deixe uma resposta