Como inovar em educação? Invista em reciprocidade

Quando pensamos em melhorar algo, logo aparecem várias pessoas para apontar possíveis tecnologias que podem resolver aquela questão. ‘Problemas em marketing? Invista na plataforma X!’, ‘Dificuldade em vendas? Conheça a ferramenta Y’, ‘Engajamento baixo em sala de aula? Que tal envolver os alunos com o aplicativo Z? ‘. E nesse mundo tão conectado, acabamos vendo pouca gente realmente interessada em resolver as situações com o que elas envolvem diretamente: pessoas, relacionamentos e aprendizado.

E quando falamos em educação, ainda existe uma pergunta muito importante: quem ensina os educadores? Quem pode ajudá-los a pensar além do habitual e implementar inovações em sua rotina? Compartilhar experiências e desenvolver uma nova realidade é um trabalho que pode parecer comum para vários profissionais e os professores também precisam muito desse tipo de iniciativa, especialmente pensando em mentorias e o desenvolvimento de novas competências.

Dividir boas ideias é um grande incentivo para criar novos projetos. Em um almoço meses atrás, conversei muito com uma amiga sobre esse desejo que ela tinha de fazer ainda mais por seus pares, os professores. Durante esse período, ela encontrou uma sócia (que foi sua mentorada e case de sucesso em recolocação profissional) e transformou todas aquelas anotações em algo concreto. Quando ela me avisou que o Profesor Mode On tinha nascido, tive certeza que esse é o tipo de história que merece ser contada!

Depois de uma série de experiências na carreira como docente, Carolina Borges, PhD Saúde Pública, percebeu que era a hora de criar uma metodologia própria focada em desenvolvimento de professores e educação significativa. Foi iniciado então uma pesquisa e série de discussões sobre as necessidades do mercado, já em parceria com Marina Celly Souza, PhD Enfermagem. Elas montaram então um time de mentores brasileiros e americanos que, além de experientes no ensino superior, acreditam que educação de adultos se faz na base da reciprocidade, amor, respeito e técnicas de ensino-aprendizagem eficazes.

Conversei com a Carolina para entender melhor como o Professor Mode On funciona e aqui estão as respostas:

Qual o momento chave para que o professor perceba que sua metodologia precisa ser atualizada?

As boas metodologias estão disponíveis há, pelo menos, 40 anos! Mudaram-se os nomes, os rótulos, o contexto, mas as ferramentas existem. É muito importante manter a missão de trazer a realidade para dentro da sala de aula, independente da área de atuação. E outro ponto a ser observado é quando há perda de conexão: a apatia dos estudantes é um grande preditor de que seja hora de atualizar a abordagem do professor em sala de aula.

Todos níveis e disciplinas podem ser beneficiados pela aprendizagem significativa?

As abordagens da aprendizagem significativas não são universais, mas são extrema mentes adaptáveis as diferentes áreas do conhecimento. Existem disciplinas que são mais sequenciais que outras, mais prescritivas, o que não impede o uso de praticas de ensino-aprendizagem ativas na sala de aula. Depois de um workshop que conduzi no ano passado com professores de curso de Engenharia recebi um feedback de um professor que lecionava a disciplina Estrutura de Materiais dizendo que saiu de cabeça aberta porque ele acreditava que a forma de ensinar estrutura de materiais “tinha que ser” do jeito que ele aprendeu há 30 anos. Também tive retornos positivos de colegas professores de áreas mais “tradicionais” do conhecimento como Medicina, Odontologia e Direito.

Qual o maior impacto para os alunos que passam por um processo de aprendizagem diferenciado?

Eu acredito que a mágica da educação acontece na base da verdade, reciprocidade e respeito. Tem que ser humano-centrado, do contrario, é vazio. A experiencia do aprendizado tem que fazer sentido para o aluno e eu diria que o maior impacto da aprendizagem significativa é a aquisição – de verdade – das habilidades e competências propostas pelo disciplina que ele cursa. Saber fazer, saber aplicar e pensar macro. Atualmente, não faz mais sentido manter a postura de Professor que pune, da educação do medo, robótica. Infelizmente, ainda existem professores que querem ser lembrados por serem “maus”. No nosso time do PMO, queremos ser lembrados por nossos alunos e mentorandos como humanos que ajudam outros humanos a construírem a melhor versão deles mesmos.

Educação é liberdade, é meio de promover autonomia das pessoas.

É mais fácil engajar os alunos ou os professores?

Sem dúvida, engajar alunos. A relação estudante-professor é espelhada. Ação e reação: professor raso e pouco provocativo, alunos idem. Ser professor disruptivo, inovador, aluno-centrado dá MUITO trabalho! Muito! As pessoas tendem a acreditar que docência é 100% vocação, mas não é bem assim. A vocação pode, sim, existir, mas professor sem abordagem eficaz e sem as ferramentas adequadas não proporciona aprendizagem significativa, não se torna um facilitador da jornada de aprender.

Não há mágica para ser um bom professor. O primeiro passo para ser um professor engajado é reconhecer que a docência se trata de um processo nunca acabado em que o autoconhecimento é chave para a bonita missão de ensinar e aprender.

Dra. Carolina Borges, Co-Fundadora e Mentora Professor Mode ON

No dia 5 de maio, sábado, será realizado o Workshop de Aprendizagem Significativa em Belo Horizonte-MG e essa é uma ótima oportunidade para que os docentes possam conhecer novas propostas de trabalho e iniciativas que trazem muitos benefícios para seu desenvolvimento em sala de aula.

Os interessados podem realizar a inscrição pelo link (clica na opção LB⭐️ e eles saberão que você veio desse post!) garantir 8 horas de muita troca e aprendizado compartilhado .

Profesor Mode On já está planejando outros workshops presenciais pelo Brasil e Estados Unidos, além da possibilidade de mentoria remota por todo o mundo.

 

Muito obrigada pela ótima conversa, Carol! E sucesso para o PMO!

Deixe uma resposta